segunda-feira, 18 de julho de 2011

Buscadores...

Vez ou outra gosto de acreditar que a vida é um grande ensaio. Se não nos seria dado instruções para o que fazer e para onde ir. E vir-a-saber o que se desconhece é processo inevitável do crescer e do atuar, no palco dos nossos dias. Pois quando atentos para os atalhos e erros, passamos a repousar os olhos no caminho mais acertado; trazendo à luz aquelas paisagens ocultas em nosso interior, a saber quais sementes darão espinhos e quais outras nos trarão perfumes. Atentos também ao ritmo paciente das coisas que confessam a harmonia dos ciclos, revelamos o óbvio ao coração: que grama não faz força para crescer, ela apenas cresce; nem os peixes fazem força para nadar, eles apenas nadam. Sabedoria é estar atento às nuances da verdade; onde paciência é sombra; sua irmã caçula. Torna-se sábio aquele que escuta as lições do vento, cultivando sua luz ao longo das buscas e colheitas nas estações do sentir; aceitando que nem sempre flor resiste à tempestade, e que se permite sempre o coração entregar-se às doçuras. Sábio é aquele que sabe que onda não pode resistir ao mar; é aquele que costura encontro qualquer com gratidão, a perceber que por tantas vezes nos falta habilidade em soltar os laços dos presentes que a vida nos brinda; pois nem sempre estamos preparados para as pedras e trechos tortos no inevitável caminhar da vida, e às vezes, nem para as alegrias mais sublimes. E certeza assim vem da aceitação; de que Existência é jardim de muitas flores, floresta de muitos caminhos. E sabedoria e aceitação são verdades sinônimas. Aceitação é absorver a vida, vestir-se de sereno e escolher o melhor, uma vez e sempre. Semeadores da Alma, somos buscadores de nós mesmos.

2 comentários:

Raquel Amarante disse...

Era exatamente o que eu queria ler neste dia... bjo e brigada Gui!

Caroline Rohwedder disse...

Adorei esse texto. Muito sensível.
Quem dera pudéssemos ensaiar a vida antes.
bj