quinta-feira, 26 de maio de 2011

Quem somos...

Qual História contamos através de todas as outras histórias da nossa vida? Que impressão deixamos no coração do outro quando lá estamos juntos ou quando cá contamos o que distante vivemos? Quem somos nós? Com quais máscaras e com quais verdades? Qual o valor das palavras que saem da boca pra contar sonhos? Qual o peso das lembranças? Qual a cor do espelho que levo nos olhos em que o outro se encontra em mim? Quem somos? Seríamos mistura dos contrastes de nós mesmos; pitadas de vícios e rasgos de virtudes? Somos o que somos, o que seremos, e o que queremos ser. Somos também o que não somos; o que sobra, o que falta, e o que temos. Somos tanto de fora pra dentro e tão pouco de dentro pra fora. Ou seria o contrário? Pois o que vejo é que o infinito todo nos cabe, embora mal nos damos conta. Somos parte da melodia que muitas vezes não ouvimos. Parte da pintura que deixamos de admirar. Somos o instrumento e a banda toda. E também somos silêncio da noite que aguarda aflita ou serena, mais um raiar do Sol; exímios na arte de alternar dramas e comédias no palco dos dias e das noites. Mas seja lá quem somos, gosto do gosto mesmo que desgostoso me sinta. Gosto das alternâncias dos laços e dos beijos. Porque sou feito disso: de pedaços e laços, lascas de tempos futuros e pretéritos; mais do mesmo, a novidade, a dor que dói, e a dor que cura. Eu sou o precipício e a voz que me engole todo. Na festa de amores pagãos e sagrados da vida que celebro, quero ser o primeiro a chegar, e o último a sair. Pois somos todos feitos de amores, e o coração, de contrastes. Contrastes porque os amores dóem, mas também afagam. Porque os amores colorem, mas também desgastam. Porque os amores rasgam, mas também costuram. E diante de tudo, meu amor, o jeito é a gente se acolher do jeito que se é e ser feliz como puder.


"Só me dói morrer se não for de amor". (Gabriel Garcia Márquez)

4 comentários:

Solange disse...

ser feliz do jeito que puder...

bjs.Sol

Valéria Sorohan disse...

Amar por inteiro talvez seja a chave e o segredo.

BeijooO*

Caroline Rohwedder disse...

Oi, acompanho seu blog e adoro o q escreve.
Tomei a liberdade de postar este texto no meu (http://vira-o-disco.blogspot.com/), se não se importa.
Achei lindo.
Abraço e parabéns!

Priscila disse...

Como começo? Com um "Que lindo!" outra vez? Você é meu alter-ego, Guilherme... e um alter-ego infinitamente mais bonito e rico, porque traduz o que penso, em palavras inimagináveis, para a minha caneta. A vontade é de não mais comentar por aqui, porque a mesmice dos meus comentários, me cansa. A vontade é só de ler, contemplar em silêncio e, pensar, bem baixinho: Amém!