sexta-feira, 13 de maio de 2011

Amada...

Amada, escuta teu próprio coração contente que canta e lhe diz assim: "A dor é sempre ponte entre duas alegrias". Ele voltou batendo forte, após viagem longa, trazendo mimos, amores e segredos insuspeitos há tanto pelo teu olhar torto e triste, cultivado pela tua falta de fé. Sabe aquelas milhares de coisas boas que tu vivestes; delícias, encantos, milagres e sonhos colecionados ao longo da tua vida sem você se aperceber? É hora de colher tuas qualidades e bençãos sob o disfarce de sorte que caíram do céu e vieram do nada, pois tudo isto deu em frutos. Colheitas de serenidade e imensidão em poder ver com as lentes limpas da alma e ouvir, sem mais aquela intromissão tagarela e rebelde da parte sabotadora de nós mesmos. Ver é revelar o que é bonito. Ouvir é aceitar com gratidão. E saiba: só vê beleza quem tem beleza dentro, pra reconhecer o que ela é, afinal, como irias saber se não soubesse? Assim, a gente só pode dar o que tem. Passamos tempo demais carregando ilusões a meio-sorriso e a meio-encanto, nos convencendo de que não somos, de que não temos, de que não é bem-vindo; de que sempre falta, de quem sabe um dia? Que as coisas são assim e ponto final. Amada, diante de tudo aquilo que você entendeu como desamparo e silêncio, foi apenas um esquecer-se de si mesma; nuvem cinza em dia ruim que passou revelando céu azul por detrás dela. E agora que o coração escuta bem, sabe quão pueris são as crenças que nos prendem e quão sedutoras se fazem as partes que não são inteiras. Às vezes levamos um chacoalho da vida e o Amor corre assustado. Busque-o de volta e lembre-se que é pela dor que o amor se fortalece. Por isso meu Amor, que a fé não se apague nem se assuste pelo escuro que sopra. A razão pode se fazer velha e adulta, mas o coração permanece sempre inocente e entregue. Aproveita pra quando a cabeça se distrair com todas as suas perguntas, deixar a resposta ser silêncio a preencher tua Alma; pois, é com este silêncio enfeitando o coração que este lhe conta mais uma coisa: Às vezes o amor pode se afastar, pra voltar ainda mais bonito.


"Quem só acredita no visível tem um mundo muito pequeno." (Caio Fernando Abreu)

13 comentários:

Solange disse...

às vezes o amor demora pra voltar...mas ele chega sempre!

bjs.Sol

Helen Viana disse...

Farei dele, texto para ler todos os dias. Alias, para os dias em que resolver deixar meu coração calado, quando ele mesmo insiste em me dizer tantas coisas.


"E saiba: só vê beleza quem tem beleza dentro, pra reconhecer o que ela é, afinal, como irias saber se não soubesse? Assim, a gente só pode dar o que tem."

Bianka disse...

Tem um mundo pequeno demais.

Sabrina Davanzo disse...

"a dor é sempre ponte entre duas alegrias". Difícil é atravessa-la.

ϟ Cynthia Brito disse...

Nunca gostei de ter algo ou pensar em algo pela metade, pois metade pra mim não serve. Tem que haver algo inteiro, porque todas as partes são visíveis. Um meio aqui, outro meio ali não é comigo! E que saibamos, todos nós, enxergar aquilo que, muitas vezes, nós não queremos aceitar e tudo fica obscuro!

Gostei do seu seu do seu blog, rapaz! Aliás, você tem uma forma muito boa e simpática de trazer as ideias em forma de palavras para cá. Quero muito vir aqui mais vezes, essa ilha é boa!

Um abraço.

Karla Tabalipa disse...

Me deixa acreditar que a 'amada' do texto sou eu? Me vi nas tuas palavras...
Escreves lindamente! :)

Ellen Brito disse...

Nem preciso dizer que adorei, né? Rs O nome é Amanda, mas em partes, parece que escreveu exatamente pra mim

Maíra disse...

Nossa Guilherme, que bom. Fico mais aliviada. Pensei que pudesse ser alguém que descobriu minha senha e sei lá. Fiquei tão desnorteada. rss
Obrigada mesmo! Bjo

Patrícia Rocha disse...

Vi tanto de mim no seu texto! Lindo post :)

Beijos mil para ti :**

Fernanda Hauptmann disse...

"A dor é sempre ponte entre duas alegrias" mas e esse vazio? Essa apatia? Porque como já diria Death Cab "cause nothing hurts like nothing at all"

adorei seu texto, de verdade (:

Fernand's disse...

gui,
eu acredito em cada palavra do teu texto. o amor que guardo em meu peito para, quem sabe, um dia dar certo, me ensinou essa esperança, paciência e nobreza. e se não der certo, os tesouros que ganhei com ele me são precisos e sagrados.

obrigada imenso.
guardo comigo a ideia de que o escrevestes falando de mim. rsrs


olha a pretensão da pessoa! rs

bjsmeus

Van disse...

Quem vê só o óbvio, nada vê

Maravilhoso texto!

O amor quando retorna vem com força redobrada

Beijos!

Anderson L. disse...

Velho, muito bacana o teu blog. Cheio de boas referências.
Visita o meu aí: http://palavreandome.blogspot.com/