quinta-feira, 3 de março de 2011

Ato falho...

Por vê-la todos os dias passando frente à sua mesa, apaixonou-se. Assim, o trabalho se tornou prazer; suas metas, seus sorrisos; e seus projetos, sonhos a dois. Correspondido, todos os carinhos a ligá-los: por debaixo dos panos, longe das vistas de sua superior. "Onde se ganha o pão, não se come a carne", versava ela. Sabiam que os laços iam além dos sentidos. Sorriam de soslaio, olhavam-se em silêncio a cruzar recados, suspiros e vontades, desviando atenção. Ao final do expediente, à presença de todos, deixou ele de lhe contar o que contava o óbvio e, por mensagem de celular, confessou seus pecados e ternuras após a despedida. À noite, campainha a sobressaltar o coração e a lhe faltar o ar. Era resposta às suas investidas. De sua chefe, correspondendo. Errara o nome na agenda.

Um comentário:

Solange disse...

temos que prestar muita atenção a quem vamos dar nosso coração..

bjs.Sol