quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Cura rimada...

De todas as suas fraquezas e manias, inventava problemas e dores
O quadro era conhecido:
Sofria de hipocondria.
Remédios para tudo havia;
mal-estar, enjoos, náuseas, azia.
Conhecendo ao acaso, outro dia
moça jovem prestes a lhe salvar; a lhe tirar desta fria.
Se encantaram, namoraram, se juntaram sob as bençãos do altar.
Assim, era o amor que chegava e doença que partia.
Nova vida então lhe mudou, curar-se-ia com filha bonita a chegar.
Seu nome?
Analgesia.

3 comentários:

Uma mocinha não tão indefesa disse...

Adorei os versinhos, não sabia que você também era poeta :)

Isso explica o comentário que você deixou no blog ("Apanhadora de sonhos") outro dia e falava sobre cura. Parabéns pelo texto :)

Beijinhos :)

Solange disse...

gosto muito de estar aqui..
seus escritos me encantam.

bjs.Sol

Sizií disse...

Uruuu..
Que coiiisa
hehehe

:)