sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Talento...

Examinando percurso sinuoso da própria vida, reconhece seu sucesso em trancar as portas de oportunidades tantas e perder a chave. Sabe bem dar nó nos laços de carinho. Refinado na arte de por sempre o dedo na ferida, se faz excelente, não por cultivar flores, mas por dizimar jardins. Sabotagem é seu grilo falante; que lhe mostra como fechar janela com a lua lá fora. Tinge de branco, os quadros outrora em tons de Amor presenteados. Afasta habilmente o descanso e, convites, nega todos. Todos aqueles que lhe clamam para ser feliz, já que alegria se encontra apenas na hora de visita. E quanto mais quer próximo, mais afasta. Com suas mãos, sufoca o futuro, pois desconhece que o bom habita o porão de sua Alma, reconhecendo apenas a sombra de quem se é; e na casa escura de si, vive espantando fantasmas. Sua morada são suas prisões. E não há ninguém que explique, nem ninguém que não entenda, seu desespero. Mas não sabe se o talento que arrasta, é obra de deus, do diabo, ou dele mesmo.

2 comentários:

jefhcardoso disse...

Estes são talentos e habilidades que creio ser difícil alguém se orgulhar em tê-los, mas quando se é o que tem, é preciso muita reflexão, uns toques, e vontade para mudar. Li o texto todo pensando: “Quem é esse?” Terminei o texto e pensei: “Pobre dele”. [sorrio]. Abraço, Guilherme! Muito bom ler esse texto aqui na ilha, cara.

Convido-te para ler algo em http://jefhcardoso.blogspot.com

“Para o legítimo sonhador não há sonho frustrado, mas sim sonho em curso” (Jefhcardoso)

Maíra disse...

Olá Guilherme, vi seu nome nos meus comentários! To te seguindo, gostei do seu espaço. Me segue ai também! Bjos