quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Teu presente...

"Desta vez não vem embalado, nesta data querida tenho apenas coisas que desejo para você. Desejo, em primeiro lugar que você nunca pare. Porque parar faz a gente se esquecer de onde estava indo e retroceder. Retroceder faz voltar para um lugar que não existe mais. Resgatando pessoas que não são mais o que eram, trazendo dor. Desejo que você agradeça sempre pela sua boca de beijo sabor menta. Que você tenha a capacidade de parar de falar antes de encontrar a ladeira das palavras que levam à ofensa. Que você tenha sempre o dom de ouvir, agradeça aos teus ouvidos e que eles nunca te enganem. Não misture músicas e sons que não combinam. Desejo a saúde das tuas pernas, e que, elas nunca te levem em passos apressados para onde eu não consiga chegar, que seus passos sejam menores e seus anseios por ir embora também. Que teus olhos da cor do mundo não te traiam, que não te mostrem aquilo que nem eu, nem ninguém quer mostrar. Desejo candura as tuas mãos, que elas saibam o limite do toque, que você se lembre do peso delas em todas as horas, ou em todo segundo que antecipa estas horas. Que seu coração continue vivo, que ele entenda a diferença entre necessidade e carência. Entre doar e somente dar. Que teu corpo reconheça o som da sua voz e não seja preciso falar mais alto, que teus braços percebam como são enormes e o poder que eles tem de curar, que teu colo se entenda com as pessoas que você ama, que tua íra não seja nada além de um gosto amargo no céu da boca. Hoje, desejo que seu encontro consigo não te assuste e seja pleno. Que nada te impeça de sorrir, que a vergonha não te impeça de se desculpar. Que você ganhe muitos outros presentes palpáveis, comestíveis e visíveis.
E que aceite o meu, de todo o coração.
.
.
.
(Camila Heloíse)

Nenhum comentário: