sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Escuta!


Eu sei de todas as tuas fraquezas; e conheço todos os teus pecados. E não importa quantos acertos mais sejam precisos para que isto funcione. Preocupa-te com teus erros, para que não magoes o teu próprio reflexo. Pois quando apontas algo em outro, é a ti mesmo que enxergas. Agora é o desafio. Recria versão mais bonita de ti e não preserve verdade com mentiras, já que não se alimenta flor de plástico; tampouco se constrói templo na areia. Alce voo a cada mergulho; reconheça a proximidade da luz em cada sombra. E compreenda: Que tristeza não é punhal cravado. Que remédio é também amargo. Que é das entrelinhas da história da tua Alma que se revela o sentido maior do teu roteiro. Aproxima o outro em afeto e compaixão. Semeie sorrisos. E perdoa. Pois é neste exercício em que floresce a compaixão; consigo mesmo. Desconstrua tuas certezas; certa é somente a morte. Celebra o inevitável, e o porvir.
Sintonize em si, o teu Amor
Sintonizem-se, tuas verdades.

3 comentários:

Janaína disse...

Além do espelho, além do ego é a alma que chora. E ela é bonita. É sim.

Denise Portes disse...

Lindo seu blog, já te sigo.
Vai visitar o meu:www.odeliriodabruxa.blogspot.com
beijo
Denise

Ana Aitak disse...

Por isso eu digo, que devia ter muito mais escritos seus por aqui, embora as citações sejam ótimas.
Bonito mesmo.

Abraço