segunda-feira, 12 de julho de 2010

Palco...

Dizem as bocas que me veem bonito, de que sou moderno.
Talvez eu seja mesmo, mas acho que isso é coisa da cabeça.
Porque não há alma mais ranzinza e nostálgica do que a minha.
E coração mais pueril do que o meu.
Coração de admirar palácios, de contar histórias, de brincar de maduro.
Que se apaixona fácil e tanto, de mergulhar e bater o coco no fundo do rio.
Já a cabeça não sabe muito não.
Parece negociante desconfiada. Se envaidece dos feitos e conquistas.
Política, sabe?
Ela finge sério, não brinca. Se enfeita com todas as cores da moda, com todas as notícias do dia. Posuda com seu próprio design.
Gosta do papel de sabichona. Misto de sábia e malandra.
Minha alma tá tentando dar só uns minutinhos pra ela no palco-de-cada-dia.
Pra se aquietar.

Um comentário:

Uma mocinha não tão indefesa disse...

Sou fa desde sempre e não me canso de dizer. Ja pensou em fazer um blog só com os seus escritos?
Alias, se voce não dissesse que eram seus passaria tranquilamente por um dos grandes escritores que voce costuma citar...

Parabens de novo e de novo :)