quarta-feira, 5 de maio de 2010

Ilhado...

"Não tenho sonhos. Perdi as esperanças quando cheguei nesta ilha. Não sou pessimista como os habitantes do continente povoado. Os pessimistas do continente povoado também têm sonhos. Eles esperam pelo pior. Não espero pelo pior, nem pelo melhor. Não tenho mais esperança. Tive que me despir da esperança para poder pisar aqui. Tive que me despir do passado e do futuro, de tudo que conhecia, até de mim mesmo. Agora tenho nada. Este vazio que é minha fé. Se você está no continente povoado, lendo a mensagem que mandei numa garrafa, achará contraditório, pois no continente povoado fé é sinônimo de esperança. Pura ilusão povoada! A esperança é assim, povoada e condicional. Quem espera, espera sempre algo. A fé é vazia e incondicional. Quem tem fé, não espera nada. Você sabe disto. Quando deita e dorme você abandona o continente povoado e volta para ilha. Alguma vez, durante a viagem, teve esperança de voltar ao continente? Claro que não! Mas quando o mar da vida lhe joga de volta no continente povoado, você esvazia sua fé enchendo o coração de esperança. Sonha que pode chegar a algum lugar além da ilha. Você não pode. Acorde para o sonho. Olhe ao seu redor. Você está ilhado em você."
.
.
.
(Marcelo Ferrari)

Nenhum comentário: