terça-feira, 16 de março de 2010

Eu...

Eu, que sou dos outros antes de ser inteiro.
Que não sou aquilo que a vida é.
Que não sou momento que se vive nem o amor perdido.
Eu sou aquilo que ninguém vê.
Sou a vista da minha janela e o porão da minha casa.
Coleção de histórias, estórias, falsas verdades e meias mentiras, memórias, dores, delícias, pecados, bondades, tragédias e sucessos.
Sinestésico e músical, toco a vida em melodias várias.
Buscador; contraditório; Sinto crenças que não tenho.
Intenso; Vasto..
Sou um eterno parênteses em aberto. Reticências sem continuação...
Limito-me ao definir o meu próprio contorno. Sinto-me vários, a viver além do outro lado de mim.

Nenhum comentário: