quarta-feira, 30 de setembro de 2009

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Não há ninguém como você...



Calle 13 & Cafe Tacuba

"En el mundo hay gente bruta y astuta,
hay vírgenes y prostitutas,
ricos pobres clase media,
cosas bonitas y un par de tragedias,

Hay personas gordas medianas y flacas,
caballos, gallinas, ovejas y vacas,
hay muchos animales con mucha gente,
personas cuerdas y locos de mente.

En el mundo hay mentiras y falsedades,
hechos, verdades y casualidades,
hay mentalidades horizontales,
verticales y diagonales.

Derrotas y fracasos accidentales,
medallas, trofeos y copas mundiales,
en el mundo hay vitaminas y proteínas,
marihuana, éxtasis y cocaína.

Hay arboles, ramas, hojas y flores,
hay muchas montañas de colores,
en el mundo hay decisiones divididas,
entradas, salidas, debut, despedidas,

Hay inocentes, hay homicidas,
hay muchas bocas, y poca comida,
hay gobernantes y presidentes,
hay agua fría y agua caliente.

En el mundo hay micrófonos,
y altoparlantes,
hay seis mil millones de habitantes,
hay gente ordinaria y gente elegante,
pero pero pero...

No hay nadie como tu,
no hay nadie como tu mi amor,
no hay nadie como tu.
no hay nadie como tu,
no hay nadie como tu mi amor,
no hay nadie como tu.

En el mundo siempre se mueve la tierra,
hay tanques de oxigeno y tanques de guerra,
si el sol y la luna nos dan energía,
se duerme de noche, y se vive de día.

Hay gente que rectifica lo que dice,
hay mucha gente que se contradice,
hay algarrobas y algas marinas,
hay vegetarianos y carnicerías.

Hay tragos amargos y golosinas,
hay enfermedades y medicinas,
hay bolsillos llenos, carteras vacías,
hay mas ladrones que policías.

Hay religiones, hay ateísmo,
hay capitalismo, y comunismo,
aunque nos parecemos no somos los mismos,
porque porque...

no hay nadie como tu
no hay nadie como tu mi amor
no hay nadie como tu
como tu
no hay nadie como tu
no hay nadie como tu mi amor
no hay nadie como tu
como tu

En el mundo existen muy buenas ideas,
hay don quijotes y dulcineas,
hay sexo en el baño, sexo en la cama,
sexo sin ropa, sexo en piyama.

Hay cosas reales y melodramas,
hay laberintos y crucigramas,
hay chiste en llamadas que nadie contesta,
hay muchas preguntas y pocas respuestas.

Hay gente valiente, gente con miedo,
gente que el mundo no le importa un bledo,
gente parada, gente sentada,
gente soñando y gente despertando.

Hay gente que nace, gente que muere,
hay gente que odia, y gente que quiere,
en este mundo hay mucha gente
pero pero pero....

No hay nadie como tu,
no hay nadie como tu mi amor,
no hay nadie como tu..."

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Oração...

"Ensina-me, Sem Nome, a não querer como se perdesse, quando perdesse, se perdesse. Obriga-me a desaprender a só querer à beira do precipício, sempre num começo que não se faz, sempre com o gosto do fim na boca, sempre com o travo da imposibilidade na língua. Faz de mim, Sem Nome, a regeneração do que brota e não morre antes que a vida ascenda da terra, antes que do sol conheça o calor, ou que assim que o conheça volte ao útero da espera na escuridão. Dá-me, Sem Nome, o querer compossível, o não fugidio e efêmero, o que se perfaz além do instante, além do que a vista possa conceber como agora. Permita-me, Sem Nome, que eu queira o que anoiteça e amanheça, que eu saiba fazer a minha espera com mais que um vazio nos braços e um olhar no que não alcanço, que eu não me perca na memória do gesto que fica e reverbera, mais do que no toque que se personifica, nem no triste fio frágil do que não tece além do que foi. Alcança-me, Sem Nome, vira-me pelo avesso de mim, traz-me à terra, fere-me as asas, planta-me os pés, dá-me olhos para o mundo, esse que não quero, esse que não vejo com minha alma de fogo e cinzas."
.
.
.
(Patricia Antoniete)

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Vaidade...

"Sonho que sou a Poetisa eleita,
Aquela que diz tudo e tudo sabe,
Que tem a inspiração pura e perfeita,
Que reúne num verso a imensidade !
Sonho que um verso meu tem claridade
Para encher todo o mundo ! E que deleita
Mesmo aqueles que morrem de saudade !
Mesmo os de alma profunda e insatisfeita !
Sonho que sou Alguém cá neste mundo ...
Aquela de saber vasto e profundo,
Aos pés de quem a Terra anda curvada !
E quando mais no céu eu vou sonhando,
E quando mais no alto ando voando,
Acordo do meu sonho ... E não sou nada!"
.
.
.
(Florbela Espanca)

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

domingo, 20 de setembro de 2009

Pascal...

"Para quem queira ver, há luz suficiente; para quem tenha disposição contrária, há bastante obscuridade." (Pascal)

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Advogar...

Na Inglaterra um réu estava sendo julgado por assassinato. Havia evidências quase indiscutíveis sobre a sua culpa, mas o cadáver não aparecera.
Quase ao final da sua sustentação oral, o advogado temeroso de que seu cliente fosse condenado, recorreu à um truque:

- "Senhoras e senhores do júri, senhor Juiz, eu tenho uma surpresa para todos", disse o advogado, olhando para o seu relógio. "Dentro de dois minutos, a pessoa que aqui se presume assassinada, vai entrar na sala deste Tribunal."

E olhou para a porta. Os jurados, surpresos, também ansiosos, ficaram olhando para a porta. Decorreram-se dois longos minutos e nada aconteceu.
O advogado, então, completou:

- "Realmente, eu falei e todos vocês olharam para porta com a expectativa de ver a suposta vítima. Portanto, ficou claro que todos têm dúvida neste caso, se alguém realmente foi morto. Por isso insisto para que vocês considerem o meu cliente inocente”.

Os jurados, visivelmente surpresos, retiraram-se para a decisão final.
Alguns minutos depois, o júri voltou e pronunciou o veredicto:

- "Culpado!”

- "Mas como?" perguntou o advogado... "Eu vi todos vocês olharem fixamente para a porta, é por se concluir que estavam em dúvida! Como condenar na dúvida?”

E o juiz esclareceu:

- "Sim, todos nós olhamos para a porta, menos o seu cliente..."

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Açúcar...

Gandhi certa vez foi procurado por uma mãe que levou o filhinho consigo, e lhe pediu:

- Gandhi, este menino come muito açúcar. Já tentei de tudo e não consigo que ele pare com isso. Como ele gosta muito de você, com certeza irá obedecê-lo. Por favor, peça para que ele pare de comer açúcar!

Gandhi pediu àquela mãe que voltasse uns 15 dias depois.

Tempo decorrido a mãe o procura novamente e Gandhi olha o menino com bastante atenção e diz:

- Pare de comer açúcar!

O menino baixou a cabeça, mas fez sinal de que iria obedecê-lo. A mãe não entedeu nada daquilo e perguntou, super intrigada:

- Gandhi, por que você não falou isso há 15 dias atrás?
- É que há 15 dias atrás eu também comia açúcar!

terça-feira, 15 de setembro de 2009

E andar junto...

"No inverno te proteger
no verão sair pra pescar
no outono te conhecer
primavera poder gostar
e no estio me derreter
pra na chuva dançar
..e andar junto!"

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Perigo...

Não, não ofereço perigo algum: sou quieta como folha de outono esquecida entre as páginas de um livro, sou definida e clara como o jarro com a bacia de ágata no canto do quarto - se tomada com cuidado, verto água límpida sobre as mãos para que se possa refrescar o rosto mas, se tocada por dedos bruscos num segundo me estilhaço em cacos, me esfarelo em poeira dourada.

(Caio Fernando Abreu)

sábado, 12 de setembro de 2009

Suiça não tem mar...

Numa reunião com o Presidente da Suíça, Lula apresenta os seus Ministros:

- Este é o Ministro da Saúde, este é o Ministro da Educação, este é o Ministro da Cultura, este é o Ministro da Justiça….

E assim foi….

Chegou a vez do Presidente da Suíça:

-Este é o Ministro da Saúde, este é o Ministro da Fazenda, este é o Ministro da Justiça, este é o Ministro da Educação, este é o Ministro da Marinha…
Nessa altura, Lula começa a rir.

- Desculpe Sr. Presidente, mas para que o senhor tem um Ministro da Marinha, se o seu país não tem mar?

E o Presidente da Suíça responde:

-Quando Vossa Excelência apresentou os Ministros da Justiça, da Educação e da Saúde, eu não ri!

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Blues...

Onde você coloca o Sal?

"O velho mestre fez uma analogia entre o sal e o sofrimento que passamos em nossa vida. Pediu a um jovem muito triste que enchesse a mão de sal, derramasse em um copo d'água e o bebesse.

- Qual é o gosto? - perguntou o Mestre.
- Ruim - disse o aprendiz.

O mestre sorriu e pediu ao jovem que pegasse outra mão cheia de sal e levasse a um lago. Os dois caminharam em silêncio e o jovem jogou o sal no lago. Então o velho disse:

- Beba um pouco da água do lago.

Enquanto a água escorria do queixo do jovem, o mestre perguntou:

- Qual é o gosto?
- Bom! Disse o rapaz.
- Você sente o gosto do sal? Perguntou o Mestre.
- Não, disse o jovem.

O mestre então, sentou ao lado do jovem, pegou carinhosamente em suas mãos e disse:

- A dor na vida de uma pessoa não muda. Mas o sabor da dor depende de onde a colocamos. Quando você sentir dor, a única coisa que você deve fazer é aumentar o sentido de tudo o que está à sua Volta. É dar mais valor ao que você tem do que ao que você perdeu. Em outras palavras: é deixar de ser copo para tornar-se um lago.

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Altar...

“Em cada esquina de minha alma existe um altar para um deus diferente“. (Fernando Pessoa)

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Apontador...

Os homens precisam de um modelo para suas vidas, gostam de ser guiados; não gostam de dirigir. O homem que fica na encruzilhada dos caminhos e aponta as sendas, sem ele próprio percorrê-las, é um apontador. Um marco de madeira pode fazer o mesmo. O Mestre percorre o caminho. A cada passo deixa sua pegada claramente estampada para que todos possam vê-la e ter certeza de que ele, o Mestre, passou por ali.
(Jesus; Evangelho Aquariano)

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

A boneca de crochê...

Um homem e uma mulher estavam casados por mais de 60 anos.
Eles tinham compartilhado tudo um com o outro e conversado sobre tudo.
Não haviam segredos entre eles, com exceção de uma caixa de sapato que a mulher guardava em cima de um armário e tinha avisado ao marido que nunca abrisse aquela caixa e nem perguntasse o que havia nela.
Por todos aqueles anos ele nunca nem pensou sobre o que estaria naquela caixa de sapato.
Um dia a velhinha ficou muito doente e o médico falou que ela não sobreviveria.
Sendo assim, o velhinho tirou a caixa de cima do armário e a levou pra perto da cama da mulher.
Ela concordou que era a hora dele saber o que havia naquela caixa.
Quando ele abriu a tal caixa, viu 2 bonecas de crochê e um pacote de dinheiro que totalizava 95 mil dólares.
Ele perguntou a ela o que aquilo significava, ela explicou;
- Quando nós nos casamos minha avó me disse que o segredo de um casamento feliz é nunca argumentar/brigar por nada. E se alguma vez eu ficasse com raiva de você que eu ficasse quieta e fizesse uma boneca de crochê.
O velhinho ficou tão emocionado que teve que conter as lágrimas enquanto pensava 'Somente 2 bonecas preciosas estavam na caixa. Ela ficou com raiva de mim somente 2 vezes por todos esses anos de vida e amor.'
- Querida!!! - Você me explicou sobre as bonecas, mas e esse dinheiro todo de onde veio?
- Ah!!! - Esse é o dinheiro que eu fiz com a venda das bonecas.

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Casa...

RECONSTRUINDO E ENFEITANDO A CASA PRA ESPERAR A DONA DELA VOLTAR! :)
.
.
.
"Vocês se lembram? Já contei a estória do Pássaro Encantado de muitas cores, que amava a Menina...
Mas sempre chegava a hora em que ele dizia:
"É preciso partir, ficar longe por muito tempo, para que a saudade cresça, e dentro dela, o encanto."
E ele voava...
A menina ficava e chorava. Até que não mais aguentou a dor da saudade e prendeu o Pássaro numa gaiola de prata, para que nunca deixasse...
Ele ficou, mas murchou. Seus olhos se entristeceram e suas cores se apagaram.
Acabou também a saudade, e o encanto se foi.
A Menina entendeu, então, que é preferível a dor da saudade encantada à tristeza de uma presença encarcerada.
E abriu a porta da gaiola.
O pássaro voou para muito longe até que a saudade voltasse a crescer.
.
.
.
(Rubem Alves)

Teus olhos...

"Perdão, eu te peço à distância, pela indigência das palavras, essas, que eu não falo e levo em mim e pouso sobre as tuas pálpebras cada vez que recostas a cabeça e fechas os olhos sem que saibas que eu te olho. Dizem coisas, essas palavras mudas, dizem teu nome entre meus lábios, adivinham tua respiração próxima ao meu rosto e o cheiro dos teus cabelos quando amanhece o dia. Falam das minhas mãos e dos teus rumos, essas palavras não-ditas, que perdem-se uns nos outros e do gosto que suspeito ter a tua língua pelo meu pescoço. Perdão, eu te peço à distância, e torço para que me surpreendas no verde amarelado da íris, instantes antes de eu deitar novamente incógnito meus segredos sobre teus olhos." (Patricia Antoniete & Eu)

Compreensão e Amor...


"Zamora: Podes alguém, pelo Amor, escapar à repetição de suas transgressões contra o Amor e, desse modo, fazer parar a roda do Tempo?
Mirdad: Tu podes consegui-lo pelo Arrependimento. Uma maldição proferida por tua língua procurará pousada quando voltar e encontrar tua língua coberta de bençãos amorosas. Assim, o Amor deterá a repetição daquela maldição.
.
Isso porque a Compreensão é o seu próprio escudo; seu poderoso braço é o Amor!"
.
.
.
(O livro de Mirdad)

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

É tempo...

... de ser flor aos seus pés e, tão somente, exalar doce perfume que te embriague!
... é tempo de assumir o fardo de mim mesmo, e juntar sombra e luz, ambas nítidas pela janela do Amor que me abriu!
... é hora de abrir mão do que não se é mais, e ser o que se é. Como também hora de contar o que antes nem eu me contava, por fingir não saber de mim mesmo!
... é momento de dissolver a culpa refletida, pois o único reflexo é do carinho que me preenches!
Apenas o carinho que me preenche. Traçou pontes, onde pude andar pelos cantos de minh´alma, me encontrando apesar da terra amarga que abandonei de mim.
Em busca de mim, em busca de ti!
.. no aguardo pelo dia bonito, pelo vento fresco, pelas mãos dadas, pelos dias passados, pelos risos gostosos do caminho seguro. Na espera de ti! Aguardo. A postos, pra ser tua boa nova, teu cobertor cheiroso, teu pijama quentinho, teu café-com-leite!
O milagre de nós é luz, que pra olhos pequenos, não vê, pois vê apenas a escuridão de si mesmo! Até que se acostume, até que suspire, respire e entenda a fonte da benção! .. e como nos chega e nos embala!
É tempo de dar tempo ao tempo e, saber, que ele conspira a nosso favor.
O que é belo, nobre e o que resiste, tal qual pérola na mão de um náufrago, deve ser preservado!
O Amor merece sempre uma chance!
É tempo do abraço esquecido da vida, mergulhado em si mesmo, diante daquilo que não existe mais, e da dádiva do porvir.

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Minh´alma...

Minh’alma, de sonhar-te, anda perdida.
Meus olhos andam cegos de te ver!
Não és sequer razão do meu viver,
Pois que tu és já toda a minha vida!

Não vejo nada assim enlouquecida...
Passo no mundo, meu Amor, a ler
No misterioso livro do teu ser
A mesma história tantas vezes lida!

“Tudo no mundo é frágil, tudo passa...”
Quando me dizem isto, toda a graça
Duma boca divina fala em mim!

E, olhos postos em ti, digo de rastros:
“Ah! Podem voar mundos, morrer astros,
Que tu és como Deus: Princípio e Fim!...”

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Anime...

Uma vez, durante um retiro para meditação, um discípulo disse ao instrutor Zen Soen Nakagawa:
"Estou muito desanimado. O que devo fazer?"
Soen respondeu:
"Anime outras pessoas."