segunda-feira, 14 de janeiro de 2008

Os sensatos e os perigosos...

"O profundo mistério do meu ser freqüentemente me é oculto pelo conceito que faço de mim mesmo."
.
.
.
"Um dos fatos mais perturbadores no julgamento de [Adolf] Eichmann é que um psiquiatra o examinou e o considerou perfeitamente são. Não duvido, de forma alguma, e é precisamente por isso que acho o fato perturbador. A sanidade de Eichmann é perturbadora. Associamos sanidade com senso de justiça, humanidade, prudência, capacidade de amar e entender as pessoas.

Dependemos das pessoas sãs do mundo para preservá-lo da barbárie, da loucura, da destruição.
E agora começamos a nos dar conta de que os sensatos é que são os mais perigosos. São os sensatos, os bem adaptados que, sem receios e sem escrúpulos, apontam os projéteis e apertam os botões que iniciarão o grande festival de destruição que eles, os sadios, prepararam. O que nos dá tanta certeza de que, afinal, o perigo provem de um psicótico em condições de disparar o primeiro tiro numa guerra nuclear?

Os psicóticos serão suspeitos. Os sadios os manterão afastados dos botões. Ninguém suspeita dos sadios, que terão sempre boas razões, lógicas e plausíveis, para disparar. Estarão obedecendo ordens sadias que terão vindo de forma sensata pela cadeia de comando. E, por causa de sua sanidade, jamais terão escrúpulos. Quando os mísseis forem disparados, não terá sido por engano." (Thomas Merton)

Nenhum comentário: